Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tia! Tia! Tia!

As tias têm voz. E histórias.

Aconteceu quando a Tia tinha a tua idade

Sobrinha, a Tia ainda não encontrou o teu caderno... tens a certeza de que não o levaste?

 

Enquanto a tua história aguarda, deixo-te uma, daquelas verdadeiras!, que me aconteceu há muitos anos, seria eu da idade que tens hoje, ou talvez mais nova... a Tia escreveu-a porque participa num desafio e já a publicou no outro blogue, mas como ainda és muito pequenita para perceber o que digo por lá, copio-a para aqui. Espero que gostes. E que não te esqueças que a Mãe é a minha, não a tua... 

 

Um momento marcante

Lembro-me de ouvir na azáfama, não sei se na voz da Tia ou da Avó, que seria talvez um leopardo. Um leopardo? Só me recordava de um tigre, e não conseguia imaginar como entrelaçar no momento as barbas e os cabelos do Sandokan. Pensava nisso e esperava, as mãos no ar como se empunhando o sabre. A Mãe explicou-me então que não seria tigre e muito menos o da Malásia, mas sim um gato grande de pelagem pintalgada, ágil e trepador, e pára de dançar sobre a mesa, ainda cais!

Reparei que a lua subia e mercúrio descia, asas leves de algodão esvoaçando como se trazendo novas do tal leopardo que se aproximava. Se sabedes novas do meu amigo, cantava Adriano, a voz cristalina morrendo sob as minhas perguntas, Mãe, falta muito?, pequenas borboletas vermelhas alvoroçadas à minha volta e eu alvoroçada na espera do gato pintalgado.

Quando o Pai chegou, a guerra esquecida atrás dos olhos verdes que me olhavam preocupados, perguntou, Confirma-se? E com borboletas vermelhas voando-lhe das mãos, a Mãe respondeu, Sim, a miúda está com varicela.

8 comentários

[acho que...]