Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tia! Tia! Tia!

As tias têm voz. E histórias.

Uma estrela para a tia

Quando começaste a pedir a Frozen em português, e depois de longos meses a adormecer-te em inglês, aproveitei para recomeçar a cantar-te músicas portuguesas, como fazia antes de conheceres a Elsa e a Ana.

Mais rapidamente do que esperava, foste preferindo estas músicas. Cantadas apenas à noite, duas ou três quando mais desperta, fui alternando a Canção de Embalar com a Chamarrita, a Atados e Simples com a Marião, a Vejam Bem com a Laurinda... e muitas, muitas outras canções em compasso de balada. Mas a tua preferida era, ainda é à data em que escrevo, a Canção de Embalar

 

Numa noite perto do meu aniversário, tu já com seis anos [não cinco, foi este ano!], pediste-me para a cantar duas vezes, uma depois da outra. Como já tínhamos vivido outras histórias com esta música, não estranhei a tua preferência. Tal como não estranhei quando, na noite seguinte, pediste nova repetição.

De manhã, ao preparar o pequeno-almoço, estavas mais calada do que o normal... enquanto enfeitava o prato da fruta, senti-te encostares-te a mim, abraçares-me e:

- Dorme, meu menino, a Estrela d'Alva...

Quase tão baixinho como eu te cantava, cantaste-me toda a canção sem falhares uma nota, sem esqueceres uma palavra!

Foi uma surpresa tão linda, sobrinha!

7 comentários

[acho que...]